terça-feira, 11 de março de 2014

Conquistas

Venâncio e os seus homens pareciam estar a dominar a batalha. Restavam apenas dois marinheiros, comandados pelo capitão Baltazar, contra os onze de Venâncio. O zumbido das espadas silenciava as ondas que rebentavam no casco do velho navio. A luta pelas terras desertas era feroz mas Venâncio sorria, antecipando a sua nova conquista.
O capitão Baltazar foi encurralado na proa e não tinha hipótese. Com um golpe seco e sem misericórdia, Venâncio cortou a perna de Baltazar que caiu sem forças junto ao leme da sua própria embarcação.
Venâncio quis fazer troça do seu velho inimigo e avançou para as terras virgens sem o matar, para que Baltazar o visse clamar as novas terras. Os homens lançaram-se à água num pequeno bote e remaram sob as ordens de Venâncio que seguia de pé, mão esquerda na cintura e a direita empunhando a espada ainda ensanguentada.
Nisto, ouve-se um grito de raiva. Era Baltazar que pegara na sua perna cortada e a lançara para terra. Foi o primeiro a pôr o seu pé nas terras desertas e, por isso, era o legítimo conquistador! Venâncio ajoelhou-se pasmado e submeteu-se ao seu novo líder.


 “Nunca cortes a perna do teu inimigo, se o seu forte são os braços.”


Sem comentários:

Enviar um comentário